Garimpo ilegal

Imprimir
PDF

FBV: MPF denuncia 34 pessoas envolvidas com garimpo

Escrito por admin on .

Operação desarticulou organização criminosa que praticava garimpo ilegal na Terra Indígena Yanomami

Fonte: Folha de Boa Vista

O Ministério Público Federal em Roraima (MPF) ofereceu denúncia contra 34 pessoas, acusadas de crimes relacionados à prática, fomento e apoio ao garimpo ilegal na Terra Indígena Yanomami, reserva ambiental que abriga cerca de 20 mil índios no Estado. A denúncia foi feita após conclusão de investigação deflagrada pela Operação Xawara, iniciada em julho do ano passado pelo MPF e Polícia Federal.

Além dos crimes ambientais do garimpo, os acusados vão responder por crimes de contrabando, tráfico internacional de armas, contra a ordem econômica, manuseio de substância tóxica, obstrução de fiscalização ambiental e formação de quadrilha, entre outros.
Imprimir
PDF

G1: Operação Ágata 7 inicia com 17.740 atendimentos sociais em Roraima

Escrito por admin on .

Comunidades indígenas do estado são beneficiadas.

Ações também envolvem repressão a crimes nas fronteiras.


Fonte: http://g1.globo.com/rr/roraima/noticia/2013/05/operacao-agata-7-inicia-com-17740-atendimentos-sociais-em-roraima.html

A 1ª Brigada de Infantaria de Selva (1ª Bda Inf SL), em parceira com diversos órgãos governamentais, iniciou na manhã do dia 18 a Operação Ágata 7 nas regiões de fronteira do estado de Roraima. O objetivo da mobilização é intensificar a presença do Estado Brasileiro nas zonas limítrofes de seu território e estabelecer pontos de controle e bloqueio nas principais vias de acesso ao país.

Em Roraima, estão envolvidos nas atividades 930 militares e 227 civis. Segundo o General José Luiz Jaborandy Rodrigues, comandante da 1ª Bda Inf SL, em um dia de Operação no estado foram realizados 1.099 atendimentos médicos, 612 atendimentos odontológicos, 4.029 atividades preventivas de saúde e 12.000 atividades culturais. Foram beneficiadas as comunidades indígenas de Ingarumã e Samã, em Pacaraima, e do Contão, Surucucu e Auaris, além das populações de Bonfim, Novo Paraíso e Cantá.
Imprimir
PDF

Carta Capital: Busca por ouro coloca índios em perigo em RR

Escrito por admin on .

Segundo líder indígena Davi Kopenawa Yanomami, 1.500 garimpeiros armados estão construindo pequenos aeroportos clandestinos e operando voos ilegais

por Redação Carta Capital — publicado 05/09/2011 18:05, última modificação 05/09/2011 18:11

Fonte: http://www.cartacapital.com.br/politica/busca-por-ouro-coloca-indios-em-perigo-em-roraima/

A deputada federal Janete Capiberibe (PSB-AP) protocolou, na sexta-feira 2, um ofício no Ministério da Justiça solicitando ao ministro José Eduardo Cardozo providências quanto a supostas violações dos direitos dos povos indígenas nas terras Yanomami, no estado de Roraima.

A deputada recebeu denúncia do líder indígena Davi Kopenawa Yanomami de que 1.500 garimpeiros estão atuando ilegalmente na região. Eles estão construindo pequenos aeroportos clandestinos e operando voos ilegais. A ofensiva do garimpo nas terras indígenas se deve ao aumento da procura do ouro no mercado internacional.
Imprimir
PDF

Força tarefa é criada para atuar contra ilícitos ambientais na área Yanomami

Escrito por admin on .

Fonte: http://www.folhabv.com.br/noticia.php?id=148221

VANESSA LIMA


ftask1

A Fundação Nacional do Índio (Funai), Polícia Federal (PF), Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais (Ibama), Exército Brasileiro e a Companhia Independente de Policiamento Ambiental (Cipa) da Polícia Militar montaram uma força tarefa para atuar permanentemente contra ilícitos ambientais na Terra Indígena Yanomami.
Imprimir
PDF

Manifesto: Não à exploração predatória dos territórios e a violação dos direitos indígenas

Escrito por admin on .

Fonte: http://www.apib.org.br/manifesto-apib/



Fonte da notícia: Articulação dos Povos Indígenas do Brasil – APIB, 23.10.2012.
APIB se posiciona contra o PL 1610/96, que “dispõe sobre o aproveitamento de recursos minerais em terras indígenas”

A Articulação dos Povos Indígenas do Brasil – APIB, diante da iminência de ser colocado em votação o substitutivo de autoria do Deputado Édio Lopes, do PMDB de Roraima, ao PL 1610/96, que dispõe sobre a mineração em terras indígenas, vem a público manifestar o seu repúdio a mais este ato de grave ameaça e restrição aos direitos dos povos indígenas, assegurados pela Constituição Federal, a Convenção 169 da OIT e a Declaração da ONU sobre os direitos dos Povos Indígenas.
A APIB entende que a tentativa de aprovar o PL 1610 faz parte da seqüência de golpes promovidos e aplicados pelo atual governo e sua base aliada contra os direitos indígenas, por meio de uma série de medidas administrativas, jurídicas e legislativas que tem, em comum, o propósito de inviabilizar a demarcação de terras indígenas, reverter procedimentos em curso e disponibilizar os territórios indígenas e suas riquezas à voracidade do capital nacional e transnacional. É esse o contexto das mudanças patrocinadas pela bancada ruralista no Código Florestal e da série de Decretos e Portarias voltadas a flexibilizar a legislação que ampara os povos indígenas, os quilombolas e as áreas de unidades de conservação.
Imprimir
PDF

TIY: Garimpos destruídos voltam a funcionar

Escrito por admin on .

Vanessa Lima

Fonte: http://www.folhabv.com.br/Noticia_Impressa.php?id=138432

gp1


A Frente de Proteção Etnoambiental Yanomami e Ye’kuana identificou pontos de garimpo reativados na Terra Indígena Yanomami. Até mesmo algumas pistas de pouso utilizadas na atividade ilegal que foram destruídas durante operações de combate à extração ilegal de minérios estão sendo recuperadas e em pleno funcionamento.

A preocupação dos reflexos do garimpo na reserva indígena foi um dos temas debatidos na VII Assembleia Geral da Hutukara Associação Yanomami (HAY), realizada na semana passada na comunidade Wathoriki, na região do Demini.

 

Imprimir
PDF

MARINA SILVA - Brasil vive corrida do ouro silenciosa e oculta

Escrito por admin on .

Fonte:http://www1.folha.uol.com.br/colunas/marinasilva/1156713-as-escondidas.shtml

A usina de Belo Monte, ao secar a Volta Grande do rio Xingu, expõe ao sol da opinião pública algo mais que o limo das pedras. A empresa canadense Belo Sun Mining, do grupo Forbes & Manhattan, pretende fazer ali o "maior programa de exploração de ouro do Brasil", investindo mais de US$ 1 bilhão para extrair quase cinco toneladas por ano do precioso metal.

Já no Relatório de Impacto Ambiental da usina constava o interesse de 18 empresas em pesquisa e exploração mineral na área, mas o Ibama achou esse dado irrelevante.
Imprimir
PDF

Revista denuncia interesse de Romero Jucá

Escrito por admin on .

Disponível em:  http://www.folhabv.com.br/noticia.php?id=135622

ÉLISSAN PAULA RODRIGUES

 

rj

 

A edição desta semana da revista ÉPOCA, da Editora Globo, traz matéria que afirma que a filha do senador Romero Jucá (PMDB), Marina Jucá, seria uma das beneficiadas pelo projeto de lei de mineração em áreas indígenas.

O texto, do jornalista Marcelo Rocha, começa informando que no dia 17 de maio o senador subiu à tribuna do Senado para defender a regulamentação da mineração em terras indígenas, prevista pelo Projeto de Lei 1.610/96, sob análise pelo Congresso Nacional.

“Haverá pagamento de royalties ao Poder Público e também à população indígena. Ganhará o direito à mineração aquele que pagar mais à comunidade indígena. Haverá uma licitação. Haverá todo o cuidado ambiental antropológico da Funai [Fundação Nacional do Índio]”, disse o parlamentar em discurso encerrado pedindo a aprovação da matéria ainda este ano.
Imprimir
PDF

Amazônia abriga terceira corrida do ouro no Brasil

Escrito por admin on .

Fonte: http://folhabv.com.br/noticia.php?id=134452

O que o resultado das operações de fiscalização de crimes ambientais sinalizava, e o governo temia, está sendo confirmado agora por especialistas em mineração e órgãos ambientais: começou, há quase cinco anos, a terceira corrida do ouro na Amazônia Legal, com proporções, provavelmente, superiores às do garimpo de Serra Pelada, no sul do Pará, no período entre 1970 e 1980.

Nos últimos cinco anos, o Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e Recursos Naturais Renováveis (Ibama) desativou 81 garimpos ilegais que funcionavam no norte de Mato Grosso, no sul do Pará e no Amazonas, na região da Transamazônica. O Ibama informou que foram aplicadas multas no total de R$ 75 milhões e apreendidos equipamentos e dezenas de motores e balsas.

Nesta semana, fiscais do Ibama e da Fundação Nacional do Índio (Funai) e agentes da Polícia Federal, desativaram três garimpos ilegais de diamante no interior da Reserva Indígena Roosevelt, em Rondônia. Dezessete motores e caixas separadoras usadas no garimpo ilegal foram destruídos, cessando o dano de imediato em área de difícil acesso.
Imprimir
PDF

Operação desativa garimpo de diamante em reserva de Rondônia

Escrito por admin on .

Fonte: http://folhabv.com.br/noticia.php?id=134453

Três garimpos ilegais de diamante, que funcionavam na Reserva Roosevelt, no sul de Rondônia, foram desativados há dois dias por fiscais do Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e Recursos Naturais Renováveis (Ibama), da Fundação Nacional do Índio (Funai) e por agentes da Polícia Federal. Dezessete motores e caixas separadoras utilizadas para o garimpo ilegal foram destruídos.

Representantes de etnias indígenas da Amazônia confirmaram a nova operação na propriedade onde vivem mais de mil índios da etnia Cinta-Larga, a 500 quilômetros da capital Porto Velho. A área já foi palco de um massacre, em 2004, quando 29 garimpeiros, que exploravam clandestinamente a região, foram assassinados por índios dentro da reserva.
radiotower

Expansão da rede de comunicação dos Yanomami por radiofonia

O projeto tem como meta ampliar a rede de aldeias yanomami interligadas pela comunicação via radiofonia. Atualmente fazem parte desta rede 17 comunidades localizadas na Terra Indígena Yanomami mais a sede da HAY localizada em Boa Vista. A meta deste projeto é ampliar para 87 o número de comunidades, o que corresponde a 32% do total de comunidades yanomami no Brasil (257). Leia Mais ∴